WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

abril 2019
D S T Q Q S S
     
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

:: ‘Saúde’

Embasa garante conformidade da água distribuída

Os dados que ganharam repercussão em toda a Bahia apontam que 217 municípios, inclusive Itarantim, contêm pelo menos um agrotóxico na água que abastece às torneiras.

Reprodução

Através de nota à imprensa, a Empresa Baiana de Águas e Saneamento Básico (Embasa) contestou os dados sobre a presença de agrotóxicos na água em 271 municípios da Bahia, divulgados pela investigação conjunta da ONG Repórter Brasil, da Agência Pública e da organização suíça Public Eye. A Embasa garante conformidade da água distribuída e afirma que os níveis de agrotóxicos nos municípios citados pela pesquisa estão bem abaixo do valor máximo permitido (VMP) pelo Ministério da Saúde.
Os dados que ganharam repercussão em toda a Bahia apontam que 217 municípios, inclusive Itarantim, contêm pelo menos um agrotóxico na água que abastece às torneiras. Segundo a pesquisa, Mucugê, na Chapada Diamantina, Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), Itapetinga, Centro Sul, e São Félix do Coribe, no Oeste, tem a situação mais crítica e consomem um perigoso coquetel com 27 agrotóxicos encontrados na água utilizada pela população.

Leia a nota
Sobre investigação conjunta da ONG Repórter Brasil e da organização suíça Public Eye sobre presença de agrotóxicos na água distribuída no Brasil a partir de resultados de análises registrados entre 2014 e 2017 no Sisagua (Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano), a Embasa esclarece que a interpretação dos dados divulgados em matéria jornalística não informa que os níveis detectados nas amostras dos municípios citados estão bem abaixo do valor máximo permitido (VMP) pelo Ministério da Saúde.

:: LEIA MAIS »

ITARANTIM: Cidade também está entre as 271 na Bahia com água contaminada por agrotóxicos

Itarantim, Potiraguá, Maiquinique estão na lista. Mucugê, São Félix do Coribe, Camaçari e Itapetinga são as mais críticas; Embasa nega contaminação.

Reprodução

Testes realizados pelas empresas de abastecimento de municípios brasileiros mostram que quatro cidades da Bahia consomem um perigoso coquetel com 27 agrotóxicos encontrados na água utilizada pela população. Mucugê, na Chapada Diamantina, Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), Itapetinga, Centro Sul, e São Félix do Coribe, no Oeste, estão no topo de uma lista de 271 municípios baianos em que se encontrou pelo menos um agrotóxico na água que abastece as torneiras das cidades.

Obtidos em uma investigação conjunta pela ONG Repórter Brasil, da Agência Pública e da organização suíça Public Eye, os dados dizem respeito ao período entre 2014 e 2017. As informações são parte do Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua) do Ministério da Saúde. O estudo detectou em 1.396 municípios no país todos os 27 pesticidas.

No caso de Mucugê, apura-se que o número elevado de agrotóxicos na água pode ter relação direta com as plantações de batata, morango e tomate na região. Moradores, biólogos, profissionais de saúde do município e até agricultores confirmam o problema e começam a ver os reflexos na população.

Correio 24 Horas

Campanha de vacinação contra a Influenza segue até 31 de maio

Reprodução

A campanha de vacinação contra a Influenza (Gripe) segue até o dia 31 de maio em todo estado. No período de 10 a 19 de abril, a intensificação é prioritária para o grupo de crianças menores de seis anos e gestantes. De 20 de abril a 31 de maio, se estenderá a todos os outros grupos.

O objetivo é contribuir com a redução de casos decorrentes das complicações causadas pela influenza nos indivíduos, especialmente idosos, crianças, gestantes e portadores de doenças crônicas que comprometam o funcionamento do sistema imunológico. A campanha busca assegurar a interrupção da cadeia de transmissão de Influenza para outros grupos populacionais que não são grupo alvo da campanha, proporcionando aos mesmos uma proteção indireta.

Quem deve se vacinar: :: LEIA MAIS »

Colesterol muito baixo pode aumentar risco de AVC em mulheres

Estudo da Universidade Harvard mostra que aquelas com níveis inferiores a 70 mg/dl de LDL, o colesterol “ruim”, têm o dobro de chance do problema.

Exame de sangue é capaz de detectar nível do colesterol
Pixabay

Índices muito baixos de LDL, o colesterol “ruim”, e de triglicérides, a principal gordura adquirida pela alimentação, estão associados a um aumento de risco de AVC hemorrágico em mulheres. Isso foi o que mostrou um estudo da Universidade Harvard publicado nesta quarta-feira (10) no periódico da American Academy of Neurology.
Mais de 27 mil mulheres foram acompanhadas durante 19 anos. Os pesquisadores controlaram dados de hipertensão, tabagismo, atividade física e índice de massa corporal. Ao longo desse período, 137 delas sofreram derrame hemorrágico – sangramento cerebral causado pelo rompimento de uma artéria.
Aquelas com níveis de LDL menores que 70 mg/dl apresentaram o dobro de risco de ter o problema do que as com leituras entre 100 mg/dl e 129 mg/dl – índices menores que 100 mg/dl são considerados normais, segundo o estudo.
Já mulheres com índice de triglicérides abaixo de 75 mg/dl também apresentaram o dobro de chance de um AVC hemorrágico em comparação àquelas com níveis acima de 156 mg/dl. Triglicérides abaixo de 150 mg/dl é considerado saudável.
Não houve associação de AVC com o HDL, o colesterol “bom”, ou o colesterol total.
Colesterol tem papel importante no corpo
Cerca de 70% do colesterol é fabricado pelo corpo. Ele tem um papel importante no organismo, pois forma a parede das células, é matéria-prima para hormônios sexuais, participa da formação da vitamina D, faz parte da capa dos neurônios e colabora na digestão.

:: LEIA MAIS »

Vacinação contra a gripe começa nesta quarta (10) em toda a Bahia

Na primeira fase, vacina será para crianças menores de 6 anos e gestantes.

Reprodução

Começa nesta quarta-feira (10) a 21ª Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe, promovida pelo Ministério da Saúde. A ação ocorre em todo o Brasil e abrange os 416 municípios da Bahia.

A campanha será dividia em duas fases. Na primeira, serão contempladas apenas crianças (de 6 meses a menores de 6 anos) e gestantes. As doses são ofertadas de segunda a sexta-feira (exceto feriados), das 8h às 17h, em todas as unidades de saúde da rede básica (confira lista aqui).

Já na segunda etapa, que começa no dia 22 de abril, serão aplicadas as vacinas nos demais grupos prioritários: idosos (a partir de 60 anos), puérperas (mulheres que deram à luz nos últimos 45 dias), trabalhadores de saúde do serviço público e privado, jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, professores, além de portadores de doenças crônicas que não são transmissíveis e outras condições clínicas especiais.

Até o fim da campanha, que vai até o dia 31 de maio, a expectativa da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) é que 750 mil pessoas sejam vacinadas em Salvador. Já a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) tem como meta imunizar 3,6 habitantes do estado.

De acordo com a Sesab, esse número corresponde a 90% do total do público-alvo da iniciativa, formada por mais de 4 milhões de pessoas. O Dia D ou Dia Nacional será no dia 4 de maio, um sábado, quando postos de vacinação móveis estarão em diversos locais estratégicos, como supermercados e shoppings.

:: LEIA MAIS »





WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia