WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

:: ‘Economia’

Rendimentos do PIS/Pasep serão liberados a partir desta segunda-feira (1º)

Nesta segunda-feira (1º), o governo irá disponibilizar o rendimento anual do fundo PIS/Pasep, que é de 4,917% sobre o saldo da conta de cada trabalhador. Mas apenas uma parte do dinheiro poderá ser sacada, e só a partir do dia 25.

Reprodução

Os rendimentos são distribuídos anualmente, como um percentual aplicado sobre o saldo que cada participante ainda ativo possui. De acordo com o Ministério da Economia, este ano o índice ficou em 4,917%.
A parte extra que pode ser sacada é de 3,6%, conforme previsto em lei. Essa fatia é referente aos juros e ao resultado líquido adicional. O restante permanece no fundo. Todos os participantes do fundo poderão retirar o dinheiro. Para sacar todo o dinheiro do fundo, o trabalhador deve cumprir alguns requisitos, como ter mais de 60 anos ou ser aposentado.
Empregados da iniciativa privada, inscritos no PIS, devem retirar os valores nas agências da Caixa Econômica Federal. Já os servidores ou empregados de empresas públicas, vinculados ao Pasep, devem procurar o Banco do Brasil.
Têm direito aos rendimentos os trabalhadores públicos e privados que estavam no mercado de trabalho formal até 4 de outubro de 1988 e que ainda não fizeram o saque integral de suas cotas. / VN

Contas de luz terão bandeira amarela no mês de julho

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou nesta sexta-feira, 28, que as contas de luz vão ter a bandeira amarela no mês de julho, com taxa extra de R$ 1,50 a cada 100 quilowatts-hora consumidos (kWh).

Reprodução

Em junho, as tarifas estavam com a bandeira verde, sem custo adicional para o consumidor.
“Julho é um mês típico da estação seca nas principais bacias hidrográficas do Sistema Interligado Nacional (SIN). A previsão hidrológica para o mês sinaliza vazões abaixo da média histórica e tendência de redução dos níveis dos principais reservatórios”, disse a Aneel.
“Esse cenário requer o aumento da geração termelétrica, o que influenciou o aumento do preço da energia (PLD) e dos custos relacionados ao risco hidrológico (GSF) em patamares condizentes com o da bandeira amarela.”
As duas variáveis que definem o sistema de bandeiras tarifárias são o preço da energia no mercado de curto prazo (PLD) e o nível dos reservatórios das hidrelétricas, medido pelo indicador de risco hidrológico (GSF, na sigla em inglês).

Escala
No sistema de bandeiras tarifárias, a bandeira verde não tem cobrança de taxa extra. Na bandeira amarela, a taxa extra é de R$ 1,50 a cada 100 kWh consumidos. No primeiro nível da bandeira vermelha, o adicional é de R$ 4,00 a cada 100 kWh. E no segundo nível da bandeira vermelha, a cobrança é de R$ 6,00 a cada 100 kWh. :: LEIA MAIS »

BRASIL: Empresas não conseguem preencher vagas por falta de qualificação dos candidatos

Nos últimos dois anos, 60% das 11,8 mil vagas ofertadas nos mutirões de emprego que reuniram grandes empresas não foram preenchidas devido à falta de qualificação dos candidatos.

A recolocação tende a ser mais difícil para quem tem até o ensino fundamental, menos de 20 e mais de 45 anos e está há mais de um ano fora do mercado

No início deste ano, por exemplo, a empresa de telemarketing Atento ofereceu 1,2 mil vagas no Mutirão do Emprego, promovido pelo Sindicato dos Comerciários de São Paulo. Com 600 interessados, só conseguiu contratar sete operadores – menos de 1% do que precisava.
O Grupo Pão de Açúcar, por sua vez, ofereceu 2 mil postos e aprovou 700 candidatos, mas, até agora, apenas 32 estão trabalhando, segundo os organizadores. No último mutirão, também foram abertas cerca de 2 mil vagas para caixa de supermercado, com salário perto de R$ 1.100, e metade ficou em aberto por falta de qualificação.
Dentre os problemas estão a dificuldade de se expressar, de fazer contas, falta de conhecimentos básicos em informática e inglês e poucos anos de estudo.
Segundo empresas de recrutamento, a recolocação tende a ser mais difícil para quem tem até o ensino fundamental, menos de 20 e mais de 45 anos e está há mais de um ano fora do mercado. Entre os 13,4 milhões de desempregados no primeiro trimestre deste ano, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), 635 mil são considerados de difícil recolocação pelos recrutadores, nas contas do economista Cosmo Donato, da LCA. É o dobro do registrado no mesmo período de 2014, antes da recessão.

Economia
O economista-chefe da Confederação Nacional do Comércio (CNC), Fabio Bentes, afirma que o abismo entre a qualidade da mão de obra desempregada e o que as empresas procuram não deve se resolver nem mesmo com a retomada da economia. Ele estima que dois, em cada dez desocupados, devem ficar fora do mercado na próxima década por falta de qualificação. Isso significa que a massa de trabalhadores sem chances de se recolocar pode saltar dos atuais 635 mil para 1,4 milhão, em dez anos.
“Não vai ter (crescimento do) PIB suficiente para incorporar essa massa de desempregados com baixa qualificação”, ressalta.
Para Hélio Zylberstajn, professor sênior da FEA/USP e coordenador do projeto Salariômetro da Fipe, os trabalhadores sem preparo podem ter destino diferente, dependendo de qual área leve adiante a retomada da economia. “Essa proporção de dois em cada dez poderá ser menor se o modelo for puxado pelo investimento em infraestrutura, que incorpora trabalhadores na construção civil de baixa qualificação”, diz. :: LEIA MAIS »

Aeroporto de Vitória da Conquista já está pronto para a inauguração

A data oficial de inauguração é 5 de agosto, mas independente disso, o Aeroporto Glauber Rocha está pronto para entrar em operação.

Reprodução

Nos últimos quinze dias a movimentação foi intensa de técnicos da Agência Nacional de Aviação Civil e também da Força Aérea Brasileira.
A notícia que chegou na tarde dessa quinta-feira (30) foi que os instrumentos de auxílio a navegação foram aferidos e homologados. O Jato FAB pousou no Aeroporto Glauber Rocha durante a fase de testes.
A Socicam Aeroportos, responsável pela administração, está credenciada para operar provisoriamente a Estação Prestadora de Tráfego Aéreo (EPTA) de acordo com publicação do Diário Oficial da União. Veja outras fotos.

Blog do Anderson

Petrobras reduz preço do diesel em 6% e o da gasolina em 7,1%

Mudança derruba o preço cobrado pelo litro da gasolina nas refinarias a R$ 1,81 a partir deste sábado (1º). Diesel passará a ser comercializado a R$ 2,16.

Reprodução

A Petrobras anunciou nesta sexta-feira (31) a redução de 6% no preço médio do diesel nas refinarias, para R$ 2,1664 por litro, e o recuo de 7,16% na gasolina, para R$ 1,8144 por litro.
Apesar da redução acentuada, ambos os combustíveis acumulam alta de cerca de 20% no ano.
Com os reajustes, que valem a partir deste sábado (1º), o litro da gasolina passa a ser vendido R$ 0,1399 mais em conta e o do diesel será reduzido em R$ 0,1383.
Como as reduções foram anunciadas para o preço dos combustíveis nas refinarias, não significa que os valores cobrados pelos postos estarão mais baixos a partir de amanhã.
As reduções ocorrem após os preços do petróleo Brent registrarem uma perda de 11% em maio e de o barril nos EUA ter recuado 16% no mês, na maior queda mensal de ambos contratos futuros desde novembro.
Com a redução, o preço médio do diesel na refinaria da Petrobras é o menor desde os R$ 2,1432 por litro registrados em meados de abril. Com o movimento, a empresa realizou a primeira redução no valor do diesel desde março.
O valor da gasolina da Petrobras, que havia sido reduzida em 4,4% na semana passada, é o mais baixo desde os R$ 1,7966 real por litro visto em 15 de março.

Em mensagem no Twitter, o presidente Jair Bolsonaro, compartilho o anúncio dos cortes nos preços.
O presidente esteve em envolvido em abril em uma polêmica sobre o preço do diesel, com a Petrobras voltando atrás em uma alta no valor do combustível após um telefonema de Bolsonaro ao presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco.
Na época, o governo estava sob pressão de uma nova greve de caminhoneiros. Os motoristas se queixavam dos preços do diesel e de questões relacionadas à tabela do frete mínimo.

Correio24horas

Tarifas de energia terão bandeira verde em junho, sem custo extra

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou nesta sexta-feira, 31, que as contas de luz vão ter a bandeira verde no mês de junho, sem custo adicional para o consumidor.

Reprodução

Em maio, as tarifas estavam com a bandeira amarela, com uma taxa extra de R$ 1,00 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos.
“Embora junho seja um mês típico da estação seca das principais bacias hidrográficas do Sistema Interligado Nacional (SIN), a previsão hidrológica para o mês superou as expectativas, indicando tendência de vazões acima da média para o período, o que possibilita manutenção dos níveis dos principais reservatórios próximos à referência atual”, informou a Aneel.
As duas variáveis que definem o sistema de bandeiras tarifárias são o preço da energia no mercado de curto prazo (PLD) e o nível dos reservatórios das hidrelétricas, medido pelo indicador de risco hidrológico (GSF, na sigla em inglês).
De acordo com a Aneel, esse cenário reduziu o preço da energia (PLD) e diminuiu os custos relacionados ao GSF e à geração de energia de fontes termelétricas.

Escala :: LEIA MAIS »

FGTS: Guedes quer liberar dinheiro de conta ativa

Com a economia brasileira estagnada, o ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou os planos do governo de liberar saques de recursos de contas do PIS/Pasep e do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), tanto ativas quanto inativas.

Ministro da Economia Paulo Guedes

“Vamos liberar os saques do PIS/Pasep e FGTS muito em breve, assim que saírem as reformas. Nas próximas três semanas, vamos anunciar muitas coisas”, afirmou.

Como o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) antecipou, o governo já vinha estudando liberar os saques de PIS/Pasep e FGTS para aquecer a economia.

O ministro disse que as “torneiras” de recursos não podem ser abertas sem mudanças fundamentais para evitar “voo de galinha”. “Na hora que você faz as reformas e libera isso, é como se fosse uma chupeta de bateria, você dá a chupeta com a certeza que o carro vai andar”, comparou.

Segundo Guedes, o desenho para a liberação do PIS/Pasep está pronto, mas o governo decidiu analisar também a autorização de saques do FGTS, o que atrasou o processo. “Cada equipe está examinando isso, não batemos o martelo ainda”, ressalvou.

Apesar do foco ser a reforma da Previdência, o ministro disse que outras medidas estão em andamento, como negociações internacionais e a reforma tributária. “Estamos a semanas de anunciar o maior acordo comercial recente”, afirmou, em referência às negociações entre o Mercosul e a União Europeia. “A pauta será muito construtiva para frente e Brasil vai retomar o crescimento seguramente”, completou.

Estadão

Conta de luz fica mais cara a partir deste sábado (1º)

A partir do próximo sábado (1º), a conta de energia vai ficar mais cara em todo o Brasil.

Reprodução

De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a proposta, aprovada no dia 21, estabelece as faixas de acionamento e os adicionais das bandeiras tarifárias com vigência em 2019.
Pela resolução aprovada, a bandeira amarela passa a R$ 1,50 a cada 100 kWh, já a bandeira vermelha no patamar 1 custará R$ 4,00 a cada 100 kWh, e no patamar 2, R$ 6,00 a cada 100 kWh. A alteração foi especialmente motivada pelo déficit hídrico do ano passado, que reposicionou a escala de valores das bandeiras.
O sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, tornando possível aos consumidores o bom uso da energia elétrica. Além disso, esse custo é pago de imediato nas faturas de energia, o que desonera o consumidor do pagamento de juros da taxa Selic sobre o custo da energia nos processos tarifários de reajuste e revisão tarifária.

Correio24horas

Itaú anuncia fechamento de 400 agências no Brasil

Com o objetivo de se adequar à migração das transações bancárias de clientes para canais eletrônicos e ampliar a rentabilidade, o Itaú Unibanco pretende fechar até 400 agências no Brasil.

Reprodução

As informações são da agência Reuters, publicadas pela Revista Exame. O encerramento pode acontecer em duas etapas, sendo a primeira com metade dos fechamentos nos próximos 12 meses e a segunda até 2020.
Este número corresponde a quase 10% dos 4,2 mil pontos físicos do banco no país até final de março, incluindo agências e postos de atendimentos.
No fim de março, o Itaú Unibanco tinha 195 dessas agências digitais em funcionamento, 35 a mais do que um ano antes. Em comunicado oficial, a instituição bancária declarou que “a redução do número de unidades físicas é um movimento de reposicionamento da rede de agências, coerente com as novas necessidades dos clientes e o aumento da procura por atendimento em outros canais como internet, celular e agências digitais”.
“O movimento das agências está caindo e o cenário competitivo está mudando rápido”, disse uma das fontes, referindo-se a rivais mais recentes, como as fintechs e os arranjos de pagamentos.

Uol

Mais de 25 mil funcionários devem ser demitidos de empresas estatais

Segundo secretário do governo, 7 já foram aprovados e outros 4 estão em discussão. Entre as estatais que já abriram PDVs ou programas de aposentadoria incentivada estão Correios, Petrobras, Infraero, Serpro e Embrapa.

Reprodução

Em meio à orientação do governo federal de reduzir custos e gerar resultados, as estatais deverão enxugar ainda mais o quadro de funcionários em 2019. Levantamento feito pelo G1, a partir de informações do Ministério da Economia e das próprias empresas, aponta que o número de desligamentos no ano poderá passar de 25 mil.
Segundo Fernando Soares, secretário de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Sest) do Ministério da Economia, já foram aprovados pelo governo este ano 7 programas de demissão voluntária (PDVs) ou de aposentadoria incentivada de empresas distintas.
A estimativa do governo é de um total de 21,5 mil desligamentos ao longo do ano somente com esses sete programas, o que poderá gerar uma economia com folha de pagamento da ordem de R$ 2,3 bilhões por ano.
O número não inclui o PDV anunciado em abril pela Petrobras, que pela lei não precisa de aval do governo para lançar programas de desligamento. Considerando também a expectativa de 4,3 mil demissões na petroleira, o total de desligamentos previstos no ano em estatais chega a 25,8 mil.
“Além desses, já temos outros 4 em discussão”, disse o secretário Soares em entrevista ao G1.
A lista das estatais envolvidas, entretanto, ainda não foi tornada pública. Segundo o secretário, a abertura de PDVs ou programas de aposentadoria incentivada é uma “decisão estratégica de cada empresa” e não cabe ao governo “queimar a largada”. :: LEIA MAIS »





WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia