WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

maio 2019
D S T Q Q S S
« abr    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

:: ‘Geral’

Inscrições do Sisu do 2º semestre vão de 4 a 7 de junho

As inscrições para o segundo semestre de 2019 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) vão de 4 a 7 de junho.

Os estudantes podem escolher até duas opções de curso. (Reprodução).

O Sisu é o sistema pelo qual as instituições públicas de ensino superior oferecem vagas aos candidatos participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Os estudantes podem escolher até duas opções de curso, sendo possível alterá-las durante o processo de inscrição.
Podem se inscrever no Sisu os candidatos que fizeram o Enem de 2018 e tenham obtido na redação nota que não seja zero. Também não podem estar na situação descrita no item 2.5 do Edital do Enem 2018.
Segundo as normas do Sisu, é importante lembrar que algumas instituições adotam notas mínimas e/ou médias mínimas para inscrição em determinados cursos. Nesse caso, se a nota do candidato não for suficiente para concorrer àquele curso, o sistema emitirá mensagem com esta informação no momento da inscrição.
O estudante poderá se inscrever no processo seletivo do Sisu em até duas opções de vaga. Ele deve utilizar o número de inscrição e a senha do Enem do ano passado.

Reprodução

As inscrições podem ser feitas pela internet até 7 de junho. Não há cobrança de taxa. O resultado será divulgado em 10 de junho. Entre 11 e 17 de junho será o prazo para o candidato participar da lista de espera.
A matrícula da chamada regular ocorre entre 12 e 17 de junho. Já a convocação em lista de espera será feita a partir de 19 de junho.

A Tarde

Mais de 25 mil funcionários devem ser demitidos de empresas estatais

Segundo secretário do governo, 7 já foram aprovados e outros 4 estão em discussão. Entre as estatais que já abriram PDVs ou programas de aposentadoria incentivada estão Correios, Petrobras, Infraero, Serpro e Embrapa.

Reprodução

Em meio à orientação do governo federal de reduzir custos e gerar resultados, as estatais deverão enxugar ainda mais o quadro de funcionários em 2019. Levantamento feito pelo G1, a partir de informações do Ministério da Economia e das próprias empresas, aponta que o número de desligamentos no ano poderá passar de 25 mil.
Segundo Fernando Soares, secretário de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Sest) do Ministério da Economia, já foram aprovados pelo governo este ano 7 programas de demissão voluntária (PDVs) ou de aposentadoria incentivada de empresas distintas.
A estimativa do governo é de um total de 21,5 mil desligamentos ao longo do ano somente com esses sete programas, o que poderá gerar uma economia com folha de pagamento da ordem de R$ 2,3 bilhões por ano.
O número não inclui o PDV anunciado em abril pela Petrobras, que pela lei não precisa de aval do governo para lançar programas de desligamento. Considerando também a expectativa de 4,3 mil demissões na petroleira, o total de desligamentos previstos no ano em estatais chega a 25,8 mil.
“Além desses, já temos outros 4 em discussão”, disse o secretário Soares em entrevista ao G1.
A lista das estatais envolvidas, entretanto, ainda não foi tornada pública. Segundo o secretário, a abertura de PDVs ou programas de aposentadoria incentivada é uma “decisão estratégica de cada empresa” e não cabe ao governo “queimar a largada”. :: LEIA MAIS »

BRASIL: Governo corre risco de ficar sem dinheiro para Bolsa Família

Com impasse no Congresso, parlamentares resistem em aprovar um crédito extra de R$ 248,9 bilhões solicitado por equipe econômica de Bolsonaro.

Reprodução

Sem um bom relacionamento no Congresso, o governo corre o risco de ficar sem dinheiro para pagar benefícios assistenciais, como o Bolsa Família, a partir do segundo semestre. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Parlamentares têm resistido em aprovar um crédito extra no valor de R$ 248,9 bilhões solicitado pela equipe econômica de Jair Bolsonaro, que pede urgência na liberação para não descumprir a chamada regra de ouro – que impede a emissão de dívida para o pagamento de despesas correntes.
Nem mesmo o apelo do ministro da Economia, Paulo Guedes, feito nesta semana em reunião na Câmara, surtiu efeito. Embora parlamentares reconheçam a necessidade de liberar os recursos, o assunto esbarra no descontentamento com a articulação do Planalto.
Deputados e senadores condicionam a aprovação do projeto a um diálogo maior com o Executivo e cobram esclarecimentos sobre o tamanho do crédito solicitado pelo governo. A desconfiança é de que a equipe de Bolsonaro apresenta um quadro pior do que realmente é.
O projeto que libera os recursos foi encaminhado pelo governo ao Congresso em março e desde então está parado na Comissão Mista de Orçamento. O prazo para o colegiado analisar o pedido vai até novembro, mas o governo tem pressa e quer a votação do texto até o mês que vem.
De acordo com Guedes, sem o crédito, os pagamentos de subsídios vão parar em junho, de benefícios assistenciais, em agosto, e do Bolsa Família, em setembro. Guedes declarou que o recurso também será usado para pagar a Previdência, o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e o Plano Safra, temas sensíveis aos congressistas. “Estamos à beira de um abismo fiscal”, disse o ministro em reunião na terça-feira (14). :: LEIA MAIS »

Voos de Salvador são desviados para Porto Seguro devido mau tempo

Três voos foram desviados; Velocidade do vento registrou a média de 22 km/h.

Reprodução

De acordo com o site Radar 64, por causa das más condições meteorológicas, dois voos da companhia Gol e um voo da Latam, que pousariam no Aeroporto Internacional de Salvador, acabaram sendo desviados para Aracaju e Porto Seguro, na tarde desta quinta-feira, 16. Os pousos e decolagens foram normalizados por volta das 13h50.
Conforme informações da Salvador Bahia Airport, a causa do desvio aconteceu devido à mudança na direção do vento, que ocasionou restrições na pista 10/28, a qual já estava reduzida por motivo da realização de obras.
Segundo informações do meteorologista Giuliano Carlos, a velocidade do vento registrou a média de 22 km/h, por volta das 16h desta quinta. Para esta sexta, 17, a previsão é a de que os ventos podem chegar de 18 a 20 km/h. “Estamos em um período típico do outono. É esperada a chegada de sistemas meteorológicos com frequência”, frisou.
Ondas de até 4 metros
Com risco de ventos intensos, o Centro de Hidrografia da Marinha (CHM) informou que há previsão de condições favoráveis à ocorrência de ressaca com ondas que podem atingir 4 metros de altura nesta sexta.
Com isso, os ventos também devem chegar até os 60 km/h. A mudança acontece por causa da passagem de um sistema de baixa pressão, que influencia a situação de chuva.

Radar 64

A lua está diminuindo de tamanho e enrugando, diz estudo da Nasa

Satélite natural da Terra está perdendo temperatura e deve ter encolhido cerca de 50 metros nas últimas centenas de milhões de anos.

Reprodução

A Nasa divulgou nessa segunda-feira (13) um estudo que concluiu que a Lua está diminuindo de tamanho e enrugando. Os cientistas estimam que o satélite natural da Terra perdeu 50 metros nas últimas centenas de milhões de anos.
Conforme a Lua diminui de tamanho, sua superfície adquire novas falhas e depressões. Essas alterações do relevo podem alcançar dezenas de metros de altura e se estendendo por vários quilômetros.
“Nossa análise dá a primeira evidência de que essas falhas ainda estão ativas e provavelmente produzindo tremores, à medida que a Lua continua a esfriar e encolher gradualmente”, diz Thomas Watters, cientista sênior do Centro de Estudos da Terra e Planetas do Instituto Nacional do Ar e do Espaço dos EUA.
Os dados usados na pesquisa foram coletados por sismógrafos instalados durante a missão Apollo 11, que levou o homem à Lua pela primeira vez. Esses equipamentos conseguem medir os tremores que ocorrem em uma determinada região lunar.
Outra evidência das mudanças que estão ocorrendo, foi obtida pela sonda LROC (Lunar Reconnaissance Orbiter Camera), que fotografa a Lua desde 2009. O equipamento revelou que uma região próxima ao polo Norte também está ganhando pequenas elevações e inclinações.

R7

Governo Bolsonaro anuncia que vai liberar saldo do FGTS Inativo

E os recursos do FGTS, que têm R$ 500 bilhões em estoque, voltaram à pauta. E como ocorreu no governo Temer, o presidente Bolsonaro também anunciou que vai liberar o saque dos recursos do fundo ainda em 2019. 

Reprodução

A informação foi divulgada por um dos secretários especiais da Fazenda, Waldery Rodrigues, após evento no Rio, e confirmada pela Secretaria Especial de Fazenda, do Ministério da Economia.

Quem tem direito FGTS Inativo

Quando o trabalhador fica três anos (interruptos) sem trabalhar de carteira assinada, ele tem direito ao chamado FGTS Inativo. Porém, apenas poderá sacar se esse tempo sem trabalhar ocorreu a partir do dia 01 de janeiro de 2016.
FGTS Inativo, nada mais é do que o saldo restante na conta do trabalhador, que está vinculada com a Caixa Econômica Federal.
O saldo do FGTS Inativo pode ser sacado a partir do primeiro dia do mês de aniversário do trabalhador. O saldo do FGTS Inativo que fica na conta, é ajustado em 3% ao ano, mais a taxa referencial.
Se você preenche os requisitos mencionados acima, certamente você tem direito a receber o saldo do FGTS Inativo. Para isso, basta ir à uma agencia da caixa levando todos documentos.
Como consultar Extrato de FGTS 

Governo anunciará plano para reduzir preços de gás de cozinha e energia

A equipe econômica do presidente Jair Bolsonaro está em vias de anunciar nos próximos dias um plano para reduzir o custo da energia no Brasil e, consequentemente, deixar mais barato o gás de cozinha e os insumos para a indústria.

Agência Brasil

Intitulado pelo ministro Paulo Guedes de “choque de energia barata”, o projeto é elaborado pelos ministérios de Economia e Minas e Energia.
Segundo uma reportagem do jornal O Globo, o plano prevê três frentes para dar mais eficiência ao setor. São ações que envolvem a venda de distribuidoras estaduais de gás, o fim do monopólio da Petrobras no setor e nova regras regulatórias por meio da Agência Nacional de Petróleo (ANP).
Guedes, durante a 22ª Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, afirmou entender que o monopólio da Petrobras no refino do gás torna o preço do produto mais caro no Brasil e ainda apontou que a solução para a falta de recursos vem do petróleo, da exploração da camada do pré-sal.
A avaliação é que a quebra do monopólio deve atrair novos players para o mercado, o que trará mais investimentos para o Brasil.
O foco nessa exploração de petróleo, segundo ele, vem para criar um “novo mercado de gás”. Também haveria uma nova regulamentação para que as unidades da Federação com distribuidoras locais permitam o acesso de terceiros aos gasodutos – hoje restrito – a fim de que consumidores possam comprar de qualquer distribuidor.
O projeto prevê também uma ajuda financeira aos estados, em troca de apoio à privatização das empresas estaduais de gás, além de um acordo com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para rever multas aplicadas à Petrobrás.
A expectativa do governo é que as medidas impactem o preço do gás de cozinha, a indústria e também a produção de energia elétrica, já que há usinas térmicas que usam gás natural como combustível.

Agência Brasil

WhatsApp detecta vulnerabilidade que permite acesso de hackers a celulares

O aplicativo de mensagem instantânea WhatsApp, de propriedade do Facebook, informou na segunda-feira (13) que detectou uma vulnerabilidade em seu sistema que permitia que hackers instalassem um tipo de “spyware”, um software espião para ter acesso a dados do aparelho, em alguns telefones.

Reprodução

A empresa confirmou em comunicado à imprensa a informação publicada horas antes pelo “Financial Times” e pediu ao 1,5 bilhão de usuários em todo o mundo que “atualizem o aplicativo para sua versão mais recente” e também mantenham seu sistema operacional atualizado como medida de “proteção”.

Passo a passo para atualizar o app

Observação: se você fizer os passos acima e não encontrar a opção de atualizar é porque seu aparelho já está configurado para atualização automática de aplicativos.

O WhatsApp, que foi adquirido pelo Facebook em 2014, afirmou que “dezenas” de telefones foram afetados e que as vítimas foram escolhidas “especificamente”, de maneira que em princípio não se trataria de um ataque em grande escala.

G1

SAÚDE: Crescimento da próstata é câncer?

Dr. Francisco Carnevale explica a diferença entre as duas doenças e quais são os tratamentos para cada uma delas.

Reprodução

A próstata é uma glândula presente no organismo masculino, do tamanho de uma noz, responsável pela produção do líquido seminal. Por volta dos 45 anos, ela tende a aumentar naturalmente de tamanho, no que chamamos de Hiperplasia Benigna da Próstata (HPB). Essa condição atinge cerca de 14 milhões de brasileiros de acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia e pode causar obstrução parcial ou totalmente da uretra, sendo, por isso, considerada uma doença.

O aumento da glândula não tem relação alguma com o câncer de próstata e a diferença entre a HPB e o câncer é justamente a benignidade do crescimento da glândula, enquanto que o tumor pode se espalhar para outros órgãos (metástase) e levar o paciente ao óbito. “Há outras diferenças também. Na HPB, dentre os principais sintomas estão a dificuldade e a necessidade frequente e urgente de urinar, o aumento da micção noturna, a constante sensação de não esvaziamento completo da bexiga, entre outros. Já no caso dos tumores malignos de próstata, a grande maioria cresce de forma tão lenta que nem chega a dar sinais durante a vida”, explica o Professor Dr. Francisco Cesar Carnevale, médico do CRIEP – Carnevale Radiologia Intervencionista Ensino e Pesquisa, da capital paulista. :: LEIA MAIS »

RISCO DE CÂNCER: Anvisa recolhe 181 lotes de remédios para hipertensão

Ao todo, 30 milhões de brasileiros têm diagnóstico de hipertensão arterial.

Reprodução

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) decidiu recolher 181 lotes de medicamentos usados para tratamento de hipertensão arterial devido à presença de impurezas associadas a um potencial risco de câncer.

Entre esses medicamentos, estão o losartana, o segundo remédio mais vendido do país, e do valsartana, também amplamente usado. Ao todo, 30 milhões de brasileiros têm diagnóstico de hipertensão arterial.

As medidas, porém, envolvem lotes e empresas específicas e não abrangem todo o mercado. A lista completa pode ser consultada no site da agência.

Os recolhimentos iniciaram em fevereiro deste ano e seguem medidas adotadas em outros países. A agência diz que a iniciativa é preventiva e nega riscos aos pacientes. A orientação é que quem fizer uso do remédio mantenha o tratamento até avaliação com um médico para possível troca do produto.

“A terapia da hipertensão é mais importante do que isso. Se uma pessoa para de usar o medicamento, ela pode ter consequências sérias à saúde, até no mesmo dia”, afirma o gerente-geral de inspeção e fiscalização sanitária, Ronaldo Gomes.

As impurezas detectadas são as nitrosaminas, substâncias encontradas em pequenas quantidades na água e em alguns alimentos, mas que, em altos níveis e com consumo prologando, podem levar ao risco de câncer. :: LEIA MAIS »





WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia