Na Bahia, foram notificados casos suspeitos de sarampo nos municípios de Porto Seguro (um caso de residente em São Paulo) e dois em Salvador.

A Diretoria Vigilância Epidemiológica (Divep), vinculada à Secretaria da Saúde da Bahia, tem alertado os profissionais de saúde para que intensifiquem as ações de vigilância e de imunização contra o sarampo. Somente em 2019, o Brasil registrou 561 casos da doença, concentrados principalmente em São Paulo, Pará e Rio de Janeiro.

“Não temos casos na Bahia mas o estado tem muito trânsito de turistas e pessoas contaminadas poderão entrar no Estado. Precisamos garantir uma cobertura vacinal adequada”, explicou o secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas. Ele alertou para a fase de crítica de epidemia de sarampo em que se encontra o Brasil.

Qualquer pessoa com menos de 50 anos que não tenha certeza ou comprovação de já ter tomado a vacina deve procurar um posto de saúde para ser imunizada. Ela receberá duas doses de vacina.

Na Bahia, foram notificados casos suspeitos de sarampo nos municípios de Porto Seguro (um caso de residente em São Paulo) e dois em Salvador, sendo um de residente em São Paulo que viajava de férias e outro residente em Salvador com histórico de viagem para o exterior. “Todos os municípios devem se manter em alerta para a identificação precoce de casos suspeitos, que se enquadrem na seguinte definição: pessoa com febre e exantema, acompanhada de tosse e/ou coriza e/ou conjuntivite, independente da idade e situação vacinal anterior”, destacou a coordenadora do Programa de Imunização da Sesab, Akemi Chastinet.

A doença
Considerada uma das mais contagiosas, o sarampo é uma doença viral aguda, com potencial para ser extremamente grave. Ela atinge principalmente crianças menores de 5 anos, especialmente as mal nutridas e bebês não vacinados, mas que pode afetar também pessoas em qualquer idade não vacinadas.Os principais sintomas do sarampo são tosse, em geral seca e irritativa; febre alta; coriza, sensibilidade à luz; manchas vermelhas na pele e dores no corpo. Alguns dos problemas que podem ser causados pela doença são: infecções respiratórias, inflamação nos ouvidos, encefalite com dano cerebral, surdez e lesões severas de pele. Em gestantes, o sarampo pode provocar aborto ou parto prematuro. / BNews